Nossas vidas



Já perdi as contas das nossas vidas.

Já foram tantas e lindas

que não precisam mais serem contabilizadas.

Me lembro de quando éramos dois estranhos

cruzando o transatlântico que naufragou

em meu peito porto,

nesse jeito torto de enxergar o amor.

Te convidei para entrar,

você foi uma ótima visita.

Foi chegando aos pouquinhos e de repente,

trouxe suas malas e se instalou de forma bonita.

Lembro também daquela vida,

onde fomos melhores amigos

e ríamos de coisas que somente nós entendíamos.

Lembro sempre da primeira vez que te vi (em todas as vezes que te vi) Leve, leve, tão leve...

Lembro de quando fomos uma família

e eu precisei te lembrar de dormir cedo,

de comer no horário, de levar um casaco,

de mandar notícias.

Lembro que em certa despedida,

a gente se despiu e junto se despiu a vida.

Lembro sempre que talvez hajam outros reencontros nossos

em cantos e contos bobos que criamos juntos.

Lembro que hoje fazem 4 anos

desde que te senti pela primeira vez nessa última vida.

E eu te amo desde sempre.

0 visualização
Arte, criatividade e textões | murais | colagens | ilustrações | Salvador
todos os direitos reservados | por juliana pina | cnpj: 26.390.809/0001-60