Buscar

Sem cabimento

Eu não caibo.

Nunca coube.

O corpo que me abriga nunca foi o suficiente.

Por isso a arte, por isso o presente.


Arte, criatividade e textões | murais | colagens | ilustrações | Salvador
todos os direitos reservados | por juliana pina | cnpj: 26.390.809/0001-60